Terça-feira, 30 de Março de 2010

VALENÇA do DOURO - Tabuaço

Valença do Douro - Tabuaço

FOTO de Albano Nascimento

                 

                          Em 1269, o Mosteiro de São Pedro das Águias dá carta de aforamento à localidade então intitulada de Valença de São Pedro das Águias, ou do Mosteiro. O couto foi pertença dos Marqueses de Távora, entre o século XIV e o século XVIII. Recebeu foral novo de D. Manuel, em 1514, e manteve o seu estatuto concelhio até 1836, quando foi extinto e integrado em Tabuaço. Entre 1855 e 1895 esteve anexado a São João da Pesqueira, e nesse último ano retornou a Tabuaço, do qual é actual freguesia. Conserva o seu antigo pelourinho, levantado no pequeno largo diante do edifício oitocentista da Casa da Câmara e cadeia comarcã.
O pelourinho levanta-se sobre um soco de três degraus de planta circular, de aresta, e muito toscos, que assentam numa plataforma de nivelação do terreno. A coluna possui fuste de secção quadrada na base e no topo, e arestas chanfradas na maior parte da sua altura, de modo a tomar secção octogonal. O capitel é um bloco quadrangular, moldurado, encimado por tabuleiro saliente, bastante mutilado. O remate é em pirâmide quadrada de topo truncado, muito irregular.
A singela tipologia do pelourinho não permite uma datação precisa; o monumento será provavelmente quinhentista.
Sílvia Leite (GESPAR)


publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 27 de Março de 2010

VALENÇA do DOURO - Tabuaço

 

FOTO de Albano Nascimento

                 

Em 1269, o Mosteiro de São Pedro das Águias dá carta de aforamento à localidade então intitulada de Valença de São Pedro das Águias, ou do Mosteiro. O couto foi pertença dos Marqueses de Távora, entre o século XIV e o século XVIII. Recebeu foral novo de D. Manuel, em 1514, e manteve o seu estatuto concelhio até 1836, quando foi extinto e integrado em Tabuaço. Entre 1855 e 1895 esteve anexado a São João da Pesqueira, e nesse último ano retornou a Tabuaço, do qual é actual freguesia. Conserva o seu antigo pelourinho, levantado no pequeno largo diante do edifício oitocentista da Casa da Câmara e cadeia comarcã.
O pelourinho levanta-se sobre um soco de três degraus de planta circular, de aresta, e muito toscos, que assentam numa plataforma de nivelação do terreno. A coluna possui fuste de secção quadrada na base e no topo, e arestas chanfradas na maior parte da sua altura, de modo a tomar secção octogonal. O capitel é um bloco quadrangular, moldurado, encimado por tabuleiro saliente, bastante mutilado. O remate é em pirâmide quadrada de topo truncado, muito irregular.
A singela tipologia do pelourinho não permite uma datação precisa; o monumento será provavelmente quinhentista.
Sílvia Leite (GESPAR)


publicado por Albano Nascimento às 23:00
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 26 de Março de 2010

Santa Maria da Feira - Aveiro

Santa Maria da Feira - Aveiro

FOTO de Albano Nascimento

 

Torre da Casamata
 
Do lado poente foi montado este recinto defensivo, ao nível térreo, com bombardeiras e besteiras dispostas de forma eficaz para assegurar o tiro em todas as direcções

 

sinto-me:

publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 25 de Março de 2010

Santa Maria da Feira - Aveiro

Santa Maria da Feira - Aveiro

FOTO de Albano Nascimento

    O castelo de Santa Maria da Feira é um dos mais notáveis monumentos portugueses quanto à forma como espelha a diversidade de recursos defensivos utilizados entre os séc. XI e XVI e que o torna peça única da arquitectura militar portuguesa.

sinto-me:

publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 24 de Março de 2010

Santa Maria da Feira - Aveiro

Santa Maria da Feira - Aveiro

FOTO de Albano Nascimento

 

sinto-me:

publicado por Albano Nascimento às 00:02
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 22 de Março de 2010

São Fins - Montalegre

São Fins - Montalegre

FOTO de Albano Nascimento

sinto-me:

publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 20 de Março de 2010

AZURARA - Vila do Conde

AZURARA - Vila do Conde

FOTO de  Albano Nascimento


publicado por Albano Nascimento às 19:18
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 19 de Março de 2010

PEDRAÍDO - Fafe

Pedraído - Fafe

FOTO de Albano Nascimento


publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 16 de Março de 2010

MUXAGATA - Vila Nova de foz Côa

MUXAGATA - Vla Nova de Foz Côa

FOTO de Albano Nascimento

         A localidade de Muxagata, com referências tão antigas como o século X (em 960, uma Uacinata consta do testamento de D. Flâmula Rodrigues), é primeiramente designada como conselho no documento de extinção da Ordem do Templo, que havia recebido os territórios como doação de Fernão Mendes, senhor de Bragança, casado com uma irmã de D. Afonso Henriques. Pouco mais tarde, em 1328, as Inquirições Dionisinas voltam a referir o concelho, que pode ter recebido primeiro foral da recém-constituída Ordem de Cristo, herdeira dos bens dos Templários. Neste aspecto não estão de acordo os vários autores, que colocam ainda a hipótese do "foral velho" de Muxagata, assim referido no foral manuelino de 1519, ter sido outorgado por D. Afonso III (Mário Guedes REAL, 1952), ou de se tratar simplesmente de uma extensão dos privilégios do foral de Sernancelhe (este de 1124), concedida já em 1357 por D. Afonso IV (Manuel Gonçalves da COSTA, 1982). Certa é apenas a outorga do Foral Novo, por D. Manuel, na data anteriormente citada, que antecederá em pouco tempo a edificação do actual pelourinho.
Este ergue-se num largo muito central, empedrado e com bastante inclinação, onde também se situa a antiga Casa da Câmara, Tribunal e Cadeia da Comarca. O soco, semi-embebido no pavimento desnivelado, é formado por sete degraus poligonais (oitavados), sendo apenas quatro destes visíveis na cota mais alta. Apenas os três degraus superiores possuem rebordo (curvo), sendo os restantes de factura mais singela, e o último muito rústico, sendo provável que tivesse estado totalmente enterrado. A coluna, oitavada e de faces lisas, assenta directamente sobre os degraus, embora o fuste possua um chanfro, ao modo de base, na parte inferior. Sustenta um capitel oitavado com remate em gaiola, integrando um colunelo central liso como suporte da cobertura, e oito colunelos de secção circular, também lisos, assentes em mísulas compostas, em torno do capitel, rematados por pequenos pináculos torneados. A cobertura da gaiola, piramidal, é encimada por uma esfera armilar com haste em ferro, esta última já moderna.
O remate em gaiola, visível igualmente em outros pelourinhos da região (Trancoso, Almendra, Vilar Maior, Catelo Rodrigo e Fornos de Algodres, entre outros), é particularmente curioso por reproduzir a "gaiola" medieval onde se encerrariam os condenados em exposição pública, prática que em Portugal se supõe rara; este tipo de pelourinhos conserva, no entanto, a evocação deste forte símbolo da aplicação da justiça municipal. SML(IPPPAR)

sinto-me:

publicado por Albano Nascimento às 19:05
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 13 de Março de 2010

MUXAGATA - Vila Nova de Foz Côa

MUXAGATA - Vila Nova de Foscôa   MUXAGATA - Vila Nova de Foscôa

FOTO de Albano Nascimento

        A localidade de Muxagata, com referências tão antigas como o século X (em 960, uma Uacinata consta do testamento de D. Flâmula Rodrigues), é primeiramente designada como conselho no documento de extinção da Ordem do Templo, que havia recebido os territórios como doação de Fernão Mendes, senhor de Bragança, casado com uma irmã de D. Afonso Henriques. Pouco mais tarde, em 1328, as Inquirições Dionisinas voltam a referir o concelho, que pode ter recebido primeiro foral da recém-constituída Ordem de Cristo, herdeira dos bens dos Templários. Neste aspecto não estão de acordo os vários autores, que colocam ainda a hipótese do "foral velho" de Muxagata, assim referido no foral manuelino de 1519, ter sido outorgado por D. Afonso III (Mário Guedes REAL, 1952), ou de se tratar simplesmente de uma extensão dos privilégios do foral de Sernancelhe (este de 1124), concedida já em 1357 por D. Afonso IV (Manuel Gonçalves da COSTA, 1982). Certa é apenas a outorga do Foral Novo, por D. Manuel, na data anteriormente citada, que antecederá em pouco tempo a edificação do actual pelourinho.
Este ergue-se num largo muito central, empedrado e com bastante inclinação, onde também se situa a antiga Casa da Câmara, Tribunal e Cadeia da Comarca. O soco, semi-embebido no pavimento desnivelado, é formado por sete degraus poligonais (oitavados), sendo apenas quatro destes visíveis na cota mais alta. Apenas os três degraus superiores possuem rebordo (curvo), sendo os restantes de factura mais singela, e o último muito rústico, sendo provável que tivesse estado totalmente enterrado. A coluna, oitavada e de faces lisas, assenta directamente sobre os degraus, embora o fuste possua um chanfro, ao modo de base, na parte inferior. Sustenta um capitel oitavado com remate em gaiola, integrando um colunelo central liso como suporte da cobertura, e oito colunelos de secção circular, também lisos, assentes em mísulas compostas, em torno do capitel, rematados por pequenos pináculos torneados. A cobertura da gaiola, piramidal, é encimada por uma esfera armilar com haste em ferro, esta última já moderna.
O remate em gaiola, visível igualmente em outros pelourinhos da região (Trancoso, Almendra, Vilar Maior, Catelo Rodrigo e Fornos de Algodres, entre outros), é particularmente curioso por reproduzir a "gaiola" medieval onde se encerrariam os condenados em exposição pública, prática que em Portugal se supõe rara; este tipo de pelourinhos conserva, no entanto, a evocação deste forte símbolo da aplicação da justiça municipal. SML(IPPAR)

 

sinto-me:

publicado por Albano Nascimento às 18:54
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 8 de Março de 2010

CAÇARELHOS - Miranda do Douro

CAÇARELHOS - Miranda do Douro

FOTO de Albano Nascimento


publicado por Albano Nascimento às 23:11
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 3 de Março de 2010

VILARANDELO - Valpaços - Vila Real

VILARANDELO - Valpaços - Vila Real

FOTO de Albano Nascimento


publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 2 de Março de 2010

FERREIRIM - Lamego - Viseu

FERREIRIM - Lamego - Viseu

FOTO de Albano Nascimento


publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 1 de Março de 2010

VALE SALGUEIRO - Mirandela - Bragança

VALE SALGUEIRO - Mrandela - Bragança

FOTO de Albano Nascimento


publicado por Albano Nascimento às 00:01
link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
|

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.links

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.LUMBUDUS

blog-logo

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30


.VISITAS

.Visitas online

blogs SAPO